Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Inglaterra’

Em 1688, James Stuart II, católico e rei da Inglaterra, Escócia e Irlanda, e sua Rainha Mary tiveram um filho. Até então o trono estava garantido à sua filha Mary, protestante e casada com o rei holandês William, da Casa de Orange. Mas agora tudo mudava: havia a possibilidade de uma dinastia católica na Inglaterra.

Contudo os protestantes reagiram. William mobilizou as tropas holandesas, invadiu a Inglaterra e iniciou a Revolução Gloriosa. Os Stuarts deixaram o país, com William e Mary assumindo o trono. James, de seu exílio na porção católica da Irlanda, organizou um exército (cujos membros foram denominados Jacobitas, ou os restauradores de “Jacobus”, a forma em latim do nome James) e iniciaram uma revolta contra o que viam ser um coup d’etat em seu país. Mais uma vez derrotado por tropas comandadas pelo próprio William, James fugiu em definitivo para a França. Após abandonar à própria sorte as tropas irlandesas, James passou a ser conhecido naquele país como Séamus an Chaca, ou “James, o Cagão”…

Siúil A Rúin é uma das mais tradicionais canções da Irlanda, e fala sobre os Jacobitas que lutaram a Revolução Gloriosa. Seu refrão foi composto em gaélico, uma língua celta irlandesa:

    Siúil, siúil, siúil a rúin (Shule, shule, shule aroon,)

    Siúil go socair agus siúil go ciúin (Shule go succir agus, shule go kewn,)

    Siúil go doras agus ealaigh liom (Shule go dheen durrus oggus aylig lume,)

    Is go dtéann tú mo mhuirnín slán (Iss guh day thoo avorneen slawn.)

Em uma tradução para o inglês,

    Come, come, come, O love,

    Quickly come to me, softly move;

    Come to the door, and away we’ll flee,

    And safe for aye may my darling be!

No vídeo, uma versão atual de Cécile Corbel para Siúil A Rúin:

I wish I were on yonder hill
and there I’d sit and I’d cry my fill
and ev’ry tear would turn a mill,
and a blessing walk with you, my love

I’ll sell my rod, I’ll sell my reel
I’ll sell my only spinning wheel
To buy my love a sword of steel
And a blessing walk with you, my love

Siuil, siuil, a ruin
Siuil go sochair agus siuil go ciuin
Siuil go doras agus ealaigh liom
Is go dte tu mo mhuirnin slan

I wish, I wish, I wish in vain
I wish I had my heart again,
And vainly think I’d not complain
And a blessing walk with you, my love

But now my love has gone to France
To try his fortune to advance.
If he e’er comes back, it’s but a chance
And a blessing walk with you, my love

Imagem: King James Stuart II; Wikipedia Commons

Tradução da letra: http://www.extrasolar.net/CLANNAD/song.asp?SongId=131
Anúncios

Read Full Post »

Rule Britannia

Em 1916 Sir Charles H. Parry compôs uma trillha para o poema de William Blake, “Preface to Milton”. A obra se tornou bastante popular a partir de 1918, quando foi executada em um concerto em prol da Campanha para o Voto Feminino.

A obra, que é universalmente conhecida como “Jerusalem”, baseia-se em um conto popular inglês, que relata a chegada de Jesus às Ilhas Britânicas, quando adolescente, na companhia de José de Arimatéa.

 

 

“And did those feet in ancient time
Walk upon England’s mountains green?
And was the Holy Lamb of God
On England’s pleasant pastures seen?
And did the Countenance Divine
Shine forth upon our clouded hills?
And was Jerusalem builded here
Among these dark satanic mills?

Bring me my bow of burning gold!
Bring me my arrows of desire!
Bring me my spear! O clouds, unfold!
Bring me my chariot of fire!

I will not cease from mental fight,
Nor shall my sword sleep in my hand,
Till we have built Jerusalem
In England’s green and pleasant land.”

Jerusalem interpretado pela English Northern Orchestra
(© Amazon.com)

(Buteco.com, 18/10/2004)

Read Full Post »